quarta-feira, 15 de junho de 2022

REGREDIR É CONTINUAR

 “Lembrar com amor é um jeito de prece". 
(Ana Jácomo)


Vivo fazendo viagens no tempo, transportando meu coração para lugares que, agora, só existem na memória, mas que são importantes para mim. 
 
Demorei a entender que a memória é também um lugar e que para chegar até lá é preciso percorrer um caminho de volta. É preciso regredir no tempo. Descobri que regredir é sinônimo de retomar e que retomar é sinônimo de continuar.  

Dizem que é impossível prosseguir carregando o passado, que é preciso deixá-lo para trás, mas, certa vez, li num poema que "deixar para trás não é a mesma coisa que apagar." Isso me salvou de uma maneira que não sei explicar, porque eu não gosto muito de apagar. 

Lembrar me ajuda a não apagar. Parece óbvio, né? E é mesmo. 

Gosto de olhar o passado e aprender mais um pouco. Já me surpreendi comigo algumas vezes. Uma ocasião pensei ter sido mesquinho e passei anos sofrendo, mas, quando olhei novamente, vi que fiz o que era possível. Foi um aprendizado que me possibilitou me perdoar. Se eu tivesse apagado o passado, ainda estaria carregando a culpa. 

Passei tanto tempo projetando um caminho para ir adiante e agora me vejo, constantemente, tomando essa outra rota. Regredir é também um jeito de ir? Eu penso que sim, porque tenho ido. Do meu jeito torto, mas tenho ido. Regredindo e continuando. 

(Wendel Valadares)



P.S.: Essa foto passou anos escondida entre as outras que se destacavam mais. Hoje ela me ensinou que é possível sentar na porteira e esperar a confusão passar. 

sábado, 26 de fevereiro de 2022

MAIS UMA VEZ

reaprender a chorar
como se o coração tivesse se esquecido de crescer
e se emocionasse com os pequenos encantos da infância

reaprender a chorar
como se o escuro ainda fosse terrivelmente assustador
e a luz trouxesse de volta o brilho da esperança

reaprender a chorar
como recusa à toda bruteza do mundo
como recusa à toda pressa do mundo
como recusa à toda falsa alegria do mundo

reaprender a chorar
como quem reaprende a viver
de dentro pra fora

reaprender a chorar
como o menino que eu fui um dia



                                           Imagem: © Benoit Courti
 

domingo, 30 de janeiro de 2022

PACTO


Meu coração vaga solitário
pelos espaços vazios da casa

Na rua pessoas passam
conversando rindo cantando

As luzes do semáforo dizem
atenção pare prossiga

Os carros obedecem a sinalização
param no pare e depois seguem

Eu também sigo
mesmo quando pareço parado

É que aprendi a continuar
de jeitos diferentes
Obedeço a outras luzes

Fiz um pacto com o sol:
não desacreditar da claridade

Também ele me diz
atenção
pare
prossiga
prossiga
prossiga

(Wendel Valadares)


                                       Imagem: Joel Robison
 

sábado, 9 de outubro de 2021

PÁSSARO PEQUENO


Passarinho que se debruça 
- o voo já está pronto! 

(João Guimarães Rosa)


                                         Imagem: © Aleah Michele

Contemplo o céu, esperançoso de que 
saberei mais uma vez o voo. 
É da minha natureza buscar o ninho e me demorar no pouso, 
mas meu coração necessita do azul para se expandir:
pássaro pequeno que abre a asas para viver. 


(Wendel Valadares)


quarta-feira, 29 de setembro de 2021

PASSADO

As fotografias me ajudam a viver com mais esperança.

Quando a lembrança vacila, a imagem me transporta no tempo.

Fecho os olhos e quase posso ouvir o menino descobrindo o gato, as flores compondo a cena, os pés descalços.

É preciso fazer da memória um lugar de descanso.

(Wendel Valadares)



                                           Imagem: © Kevin Conor Keller


sábado, 4 de setembro de 2021

A FAZEDORA DE ASAS

 Uma asa 
à medida do teu voo, 
Uma casa   
em que moravas 
de todas as maneiras. 

(Inês Pedrosa)

Imagem: © Brian Oldham


quando o dia ameaça ceder lugar à nevoa
e o tempo estaciona as horas no ponteiro da dor

quando os sonhos dormem mais cedo
e a esperança é apenas um verso de algum poema
grifado num livro

quando o cansaço se impõe 
e as pessoas nada são além de vultos passageiros,
sombras desamparadas

quando as palavras, esquecidas de nascer, 
se agarram ao lápis e não conseguem 
mergulhar no papel

penso na 'Fazedora de Asas', 
cuja missão é criar possibilidades de voos 

há tanto céu esperando por nós
quando acredito nisso, me permito o voo

(Wendel Valadares

domingo, 8 de agosto de 2021

DOS ESCRITOS QUE, SEI LÁ...

Não saber é o que torna a vida possível. 

(Lya Luft)


                                     Imagem: © Kyle Thompson



Às vezes eu não sei o que fazer com tanto cansaço. 

Às vezes eu não sei o que dizer diante de tantas palavras. 

Às vezes eu não sei o que escrever diante de tanto silêncio. 

Às vezes eu não sei aonde mirar o olhar, já tão desacreditado. 


Às vezes eu não sei como existir.

Mas me pergunto: há alguém que sabe? 


(Wendel Valadares)

sexta-feira, 16 de julho de 2021

SABEDORIA

"somos uma só água."

(Kha Tembe)


                                       Imagem: © Aleah Michele


Meu amor,
pouco sei das matemáticas 
e das geografias.
Não entendo os planetas,
os cometas ou as estrelas. 
Nada sei de química ou física. 
Jamais saberia explicar
o funcionamento de uma célula
ou o processo de fotossíntese
de uma planta. 

Contudo,
sei da tua respiração ritmada,
conheço o som dos teus passos
e me recordo precisamente
da localização de todas as marcas
do teu corpo.

Agora
tudo o que me importa aprender 
é em qual lado do teu rosto
o sol amanhece.


(Wendel Valadares)

quinta-feira, 8 de julho de 2021

 Uma tal esperança imploro a Deus. 

(Adélia Prado)


                                               Imagem: Joel Robison


Desacreditar? Não!

Des - acreditar. 

Acreditar dez vezes mais. 


Eu precisava escrever qualquer coisa pra postar, 
só pra sentir que ainda tô vivo. 
A gente vai sobrevivendo como pode. 
Um abraço apertado em quem passar por aqui.
Fique bem! 

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021

DESCANSO

Me encontro em qualquer lugar
Perdido pra você me achar
Nas coisas que me esqueço...

(Amiúde - Roberta Campos)


Imagem: © Felicia Simion


Te escrevo, meio desorientado, dizendo que não sei mais quem sou.

Você responde sem vacilar: - você é bom. E isso é muito. 

Te digo que estou perdido e você me diz que basta ser fiel ao que sinto. 

Amor, pra mim, é isso: 
poder descansar minhas inseguranças no colo das tuas certezas. 


(Wendel Valadares)