sábado, 23 de novembro de 2013

FAMINTOS

                                      Imagem: © Kris Van de Vijver

Me empresta seu corpo, mulher,
seu fogo, seu calor, seu fervor.
Me empresta sua íris, sua língua, sua vulva,
me empresta sua carne, sua culpa,
sua consciência, seu arrependimento.
Me empresta seu tempo, sua vida,
me dá sua comida, sua água.
Me afoga com a sua saliva,
me salva, me abriga.
Me lava com o suor da sua pele,
me salga, me tempera, me esquenta.
Me dá um medo, me inventa,
me tenta, me vença.
Me ensina a anoitecer e a raiar,
me ensina a amar
e a uivar feito homem,
que eu te sacio a fome.

(Wendel Valadares)

7 comentários:

  1. Uau! Que bom que te descobri...

    ResponderExcluir
  2. Uma fome de toques, de beijos, carícias, de prazer.
    Teu poema atiça a fome. Dá água na boca...

    Belíssimo meu amigo.
    Senti o calor aqui.
    =D

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viu Alê, o bicho tá pegando aqui hahahahahaha

      Excluir
  3. Dessa fome também eu padeço sempre.

    ResponderExcluir
  4. Como uma apreciadora de poemas eróticos, digo : Você manda bem !

    ResponderExcluir