sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

SONO

Imagem: Alex Stoddard


O silêncio da casa me engole.
As paredes brancas, imóveis, mudas
são dentes que mastigam meus sentidos.

Do lado de fora - da casa -
tudo é noite.
Do lado de dentro - do peito -
tudo é solidão.

Nenhuma palavra explica
o que preciso entender.
Nenhum abraço me envolve,
nenhum olhar me cuida.

Diante dessa angústia
todo o medo do mundo desaparece.
E no meio do caos e do desespero,
espero.

[Este poema mal feito
é puro cansaço].

Áspero, insípido, inóspito,
solitário.
Escrevo porque tenho sono
e não consigo dormir.

(Wendel Valadares)

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

UM POUCO MAIS DE LUZ

"Sai da sombra e vem pro sol,
deixa o nosso amor brilhar
eu sou fácil de esquentar..."

(Silvia Machete - Feminino Frágil)


Minha menina-estrela
deposita sobre os meus olhos
a tua luz-esperança.

Desmancha em meu peito
teus medos-sombras
e escuta o som
do meu coração-casa.

[Só assim eu saberei ler
o teu silêncio-canto
e entender o teu amor-água.]

Segura a minha mão-laço
e caminha comigo 
nessa estrada-vida.

Seguiremos até o começo.
Começaremos...

(Wendel Valadares)


domingo, 11 de setembro de 2016

CENA COTIDIANA

Pensei em pedir: deita aqui comigo, meu bem, tô tão infeliz, me ajuda a sobreviver. Mas já havia uma resposta pronta querendo saltar da minha boca e o meu mecanismo de defesa funciona mais rápido que a velocidade da luz e então eu disse: tô bem, tô tranquilo e você, como está? Sei que você respondeu alguma coisa mas, desculpa, não prestei atenção porque queria consertar meu erro e dizer: -é mentira, não tô bem não, tô sentindo a sua falta, me abraça e deixa eu ficar umas duas horas sentindo seu coração bater junto do meu. Mas fraquejei quando, em seguida,  você disse que estava fazendo novos planos, querendo viajar . Queria olhar na sua cara e te chamar de cretina, mas tudo que fiz foi abaixar a cabeça e dizer: - que bom, fico feliz, viajar é sempre bom. Aceita um suco? E você aceitou. E eu achei de uma crueldade sem fim sua conduta e desejei que você engasgasse. E você quase se engasgou e eu fiquei meio desesperado e paralisei por uns segundos, mas foi só um susto e você continuou sorrindo e eu lhe achei cruel mais uma vez e então disse que adorava o seu sorriso. Meu Deus, como sou cínico, porque eu queria gritar pra você tirar esse sorriso forçado da cara, porque eu não suportava a ideia de que você pudesse sorrir longe de mim e passei muitos anos acreditando que eu era o motivo do seu sorriso. E então eu apertei os olhos e esbocei um sorriso ridículo. E você notou que era forçado e tentou mudar de assunto comentando sobre o calor. E eu acho tão patético quando alguém pergunta sobre o tempo pra quebrar o gelo. E o que eu queria realmente era congelar você naquele momento. Mas tudo o que fizemos foi nos abraçar e dizer: qualquer hora a gente se encontra. E então você se foi e eu também fui. E nunca deveríamos ter vindo. Nunca deveríamos ter ido. E fim.

(Wendel Valadares)

sábado, 6 de agosto de 2016

POEMA PARA VOCÊ EXISTIR

                                      Imagem: © Noell Oszvald

Agora, a essa altura da vida,
tudo começa a desmoronar:
os sonhos, os planos, as fomes.

Entre os escombros
que restaram na minha cabeça
tua imagem permanece intocada.
Inconscientemente eu a coloquei
em uma redoma indestrutível.

Sei que não há mais nada a fazer,
mais nada a dizer ou ouvir.
Estou tão triste e solitário,
comendo as migalhas
que o vento espalhou
pelo caminho.

Sinto que não há mais tempo.
Sinto que não saberemos
quem somos.

Te amo
e nem sei se você existe.

(Wendel Valadares)

sexta-feira, 6 de maio de 2016

NÃO SEI SE VOU ME ACOSTUMAR



                                      Imagem: © Benoit Courti


O silêncio da casa fala comigo
sobre o teu sorriso.

Fecho os olhos e enxergo teu corpo
se misturando à escuridão.
Meus dedos dançam entre
os teus cabelos
e eu nem sinto mais frio.

[Mas é noite
e num segundo um arrepio
me percorre a espinha].

De repente você já não é
e está tão distante
e tudo não passou de sombra
e tudo não passou de um susto.

Queria deixar você partir,
mas tenho medo de ficar só.

(Wendel Valadares)



sábado, 23 de abril de 2016

TAG LITERÁRIA: BELCHIOR (ORIGINAL)

Quem me conhece ou convive comigo, ou ainda, quem me acompanha nas redes sociais sabe do meu encantamento e admiração pelo cantor e compositor Belchior, um dos grandes nomes da música brasileira. 

E foi inspirado em suas canções que eu criei essa TAG, que consiste em relacionar algum livro a uma música do grande Belchior. 

Vamos lá...


1) Saia do meu caminho: Um livro que fala da solidão ou que tenha um personagem solitário.

Trecho: "Saia do meu caminho, eu prefiro andar sozinho, deixem que eu decido a minha vida..."

A solidão dos números primos - Paolo Giordano

*** ~***
2) Apenas um rapaz latino americano: Um livro com protagonista homem (de preferência Latino-Americano).

Trecho: "Eu sou apenas um rapaz Latino-Americano, sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior..."

Lavoura Arcaica - Raduan Nassar

*** ~***
3) Como nossos pais: Um livro em que os pais tenham um papel importante ou sejam os protagonistas da história.

Trecho: "Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo o que fizemos, ainda somos os mesmos
e vivemos como os nossos pais..."

Hibisco Roxo - Chimamanda Ngozi Adichie
*** ~***
4) Velha roupa colorida: Um livro com uma capa bonita, estilosa.

Trecho: "No presente a mente, o corpo é diferente e o passado é uma roupa que não nos serve mais..."

Antes do Baile Verde - Lygia Fagundes Telles
*** ~***
5) Medo de avião: Um livro sobre viagens ou que tenha uma viagem importante na trama.

Trecho: "Foi por medo de avião que eu segurei pela primeira vez a tua mão..."

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista - Jennifer E. Smith
*** ~***
6) Coração Selvagem: Um livro cujo personagem não se encaixe no mundo em que vive, ou seja inconformado com a realidade.

Trecho: Meu bem, o mundo inteiro está naquela estrada ali em frente, tome um refrigerante, coma um cachorro-quente. Sim, já é outra viagem e o meu coração selvagem tem essa pressa de viver..."

Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie
*** ~***
7) Divina Comédia Humana: Um livro que te fez refletir sobre a vida ou que provoca reflexões.

Trecho: "Eu quero gozar no seu céu, pode ser no seu inferno, viver a divina comédia humana onde nada é eterno..."

Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres - Clarice Lispector 
*** ~***
8) Alucinação: Um livro que te levou pra outro universo, que te fez viajar.

Trecho: "A minha alucinação é suportar o dia-a-dia, e meu delírio é a experiência com coisas reais..."

A confissão da Leoa - Mia Couto
*** ~***
9) Lindamente brasileira - Um livro de um(a) autor(a) brasileiro(a).

Trecho: "Eu não vou querer, o amor somente é tão banal.Busco a paixão fundamental, edípica e vulgar, de inventar meu próprio ser..."

O quinze - Rachel de Queiroz
*** ~***
10) Todo sujo de batom: Um livro que tenha uma bonita história de amor.

Trecho: "Quero a sessão de cinema das cinco pra beijar a menina e levar a saudade na camisa toda suja de batom..."

Todo Dia - David Levithan
*** ~***
Bom, espero que tenham gostado. Se quiserem responder a TAG ficarei extremamente feliz e honrado, só não se esqueçam de dar os devidos créditos.

Um beijo.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

TAG LITERÁRIA: ANOS 90



Quem criou essa TAG foi o Rodrigo Bisoni, do canal literário Estante Cheia. A TAG  consiste em relacionar um livro ou autor a uma categoria que nos remeta aos gloriosos "anos 90".

Quem quiser ver o vídeo do Rodrigo, tá aqui o link: TAG Anos 90 - Canal Estante Cheia

E abaixo estão as perguntas e minhas respectivas respostas:

MTV: Um livro que você já releu várias vezes: O Tigre na sombra - Lya Luft
Foi o primeiro livro da autora que li e me apaixonei completamente. 

Boybands: "Queria ser amigo dos personages desse livro": As vantagens de ser invisível - Stephen Chbosky;
Queria muito ser amigo do Charlie e da Sam.

Game Boy: Um livro simples. divertido que você não conseguiu largar: Extraordinário - R.J. Palacio
Que livro lindo, meu Deus!!!

Arquivo X: Um livro cheio de mistérios: A confissão da Leoa - Mia Couto
Um dos melhores livros que já li na vida. Um dos meus favoritos de todos os tempos. Mas também poderia citar o Lavoura Arcaica, do Raduan Nassar, que é uma coisa fenomenal. 

Titanic: Um livro que acabou virando um desastre: A peculiar tristeza guardada num bolo de limão - Aimee Bender
Comprei pelo título, que a princípio me atraiu muito, mas achei o livro massante, repetitivo, bobo. Acabei abandonando a leitura.

Tamagotchi: Um livro que você amou como se fosse seu filho: Hibisco Roxo - Chimamanda Ngozi Adichie
Uma das minhas melhores surpresas literárias dos últimos anos. Aliás, tudo dessa autora. 

Tazos: Um autor de quem você quer colecionar todos os livros: Lygia Fagundes Telles
Na minha humilde opinião, a maior escritora brasileira de todos os tempos. A minha escritora favorita da vida é a Adélia Prado, mas já tenho todos os livros dela. E embora eu ame a Adélia com todas as minhas forças, reconheço toda a grandiosidade literária da Lygia. 

Super Nintendo: Um livro que foi como um chefão de video-game: O morro dos ventos uivantes - Emily Brontë
Achei a leitura muito difícil e a diagramação do meu livro não colaborou, pois tinha uma letra minúscula. Por fim, acabai abandonando, mas pretendo terminar algum dia. 

*** ~***

Espero que vocês tenham gostado das minhas respostas. Se quiserem responder, fiquem à vontade. Se forem postar em algum blog ou página, não se esqueçam de dar os devidos créditos ao criador da TAG, Rodrigo Bisoni, do Canal Estante Cheia.

Um abraço. 

"Conhece-te a ti mesmo"


O aforismo "Conhece-te a ti mesmo" está inscrito na entrada do templo de Delfos, 
construído em honra a Apolo, o deus grego do sol, da beleza e da harmonia.


                                   Imagem: © Ben Zank

Buscando a harmonia de ser quem sou.
Não sem medo, mas com muita força de vontade. 

Um dia chego lá.  


terça-feira, 29 de março de 2016

CENA


                                   Imagem: © Roy Volkmann


a tua respiração no meu ouvido
                                            as minhas mãos nos teus cabelos
                 os teus seios no meu peito
                                                                        os meus olhos no infinito
        a tua alma na minha alma.

(Wendel Valadares)

domingo, 27 de março de 2016

CLASSIFICADOS

PROCURA-SE

um amor para ser a inspiração 
dos meus poemas.

                                      Imagem: © Diggie Vitt


os pássaros passam.
eu, pássaro
sem asas
só sonhos


                                     Imagem: © Diggie Vitt

sábado, 26 de março de 2016

FOGO

Da chuva que queima a alma

ou ainda

Do fogo que ameniza o peito. 



                                                 Imagem: © Aaron Nace


À sombra do ontem,
se esvai agora o que foi coragem,
o que foi entrega, o que foi desejo.

Nem a paixão sobrevive ao amanhã.
Só o amor atravessa os dias.

Depois da chama,
o calor resiste no corpo.
O calor reside no corpo.

A paixão é fogo.
O amor é chuva.
E queima.

(Wendel Valadares)


sexta-feira, 25 de março de 2016

APENAS VOCÊ


                                                  Imagem: © © Kyle Thompson


Basta a tua voz
para que o meu corpo
estremeça.

Bata o teu toque
para que o meu coração
se aqueça.

Basta o teu olhar
para que a minha alma
resplandeça.

Basta a tua presença
para que o meu amor
aconteça.

(Wendel Valadares)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

INSACIÁVEL

                                       Imagem: © Roberto Kusterle


Ficaram alguns vestígios:
tua digital no porta-retrato,
um pouco de batom no copo,
o amarrotado no lençol,
exatamente no lugar
onde você se deitou
uma única vez.

Ficaram também
vagas lembranças:
o calor das minhas mãos
descobrindo teu corpo,
a maciez do lençol
deslizando pelo teu corpo,
a água do chuveiro
escorrendo pelo teu corpo.

Depois do teu corpo
restou o meu corpo,
rígido e quente.

Ainda te quero
com a mesma fome
com que te devorei um dia.

(Wendel Valadares)


domingo, 21 de fevereiro de 2016

INTEIRAMENTE



"O suficiente é para quem não ama. 
No amor só existem infinitos". 

(Mia Couto - Venenos de Deus, Remédios do Diabo)


                                              Imagem: © Edward Honaker

Meu peito lateja, segundo após segundo,
relembrando os espaços que você preenchia.
Os espaços que construí pra você 
e que agora desmoronam aos poucos. 

Há um caos instalado na minha cabeça,
cobrando detalhes que, no calor da emoção,
eu não soube perceber. 

[Eu fui mais cego que o amor].

Te desejei com tanta força
e com tanto medo que acabei
criando barreiras entre nós.

Tanto tempo se passou e, 
somente agora entendo,
você não conseguiu assimilar
toda essa intensidade. 

Desculpe ter dado tudo
quando você queria 
apenas o suficiente. 

(Wendel Valadares)

sábado, 13 de fevereiro de 2016

ENTREGA

                                      Imagem: © Tomoki Hayasaka


Eu quero me dizer pra você. Quero me desnudar completamente, me despir de todas as palavras que me compõe, que me vestem e que tão costumeiramente também me escondem, me camuflam, me disfarçam. Quero dizer quem eu sou de verdade e quais são as minhas verdades. Quero dizer o que me causa alegria, o que me deixa feliz, o que me enche de calor. Quero que você saiba dos meus sonhos, das minhas utopias, dos meus projetos para o futuro, de todos os planos que eu já fiz e refiz pensando em nós dois. 

Quero dizer o que me enche de esperança, o que me faz acreditar que o nosso final vai ser feliz, que a gente vai dar certo e que a nossa história vai ser toda bonitinha, mesmo com os altos e baixos, com os problemas e dificuldades da vida. Quero dizer que eu acredito que juntos saberemos resolver todos os problemas, todos os conflitos, todas as crises, que juntos vamos vencer. 

Eu quero me dizer pra você. Quero dizer que a noite eu fico imaginando nós dois numa casinha bem aconchegante, deitados debaixo de um edredom, tomando chocolate quente nas nossas canecas e assistindo a Julia Roberts num romance novo. Que nos imagino dando risada pela madrugada e dormindo abraçadinhos até meio dia. Que imagino nós dois de pijama, tomando café da manhã num domingo preguiçoso. 

Eu quero me dizer pra você. Quero falar do medo que eu tenho de lhe perder um dia, de não saber te amar como você merece, de não conseguir retribuir todo o bem que você me faz, de não estar à altura desse sentimento tão bonito que você fez desabrochar em mim. 

Eu quero me dizer pra você. Quero falar do meu encantamento quando a contemplo, quero admitir que o seu sorriso é a coisa mais linda que eu já vi na vida e que eu fico completamente desconcertado quando você me olha fixamente, porque seus olhos têm um brilho incomum que me enfeitiça. 

Eu quero me dizer pra você. Quero dizer que eu me arrepio todo quando você fica cantarolando as músicas do Chico Buarque no chuveiro, ou quando sussurra um verso do Neruda ao meu ouvido. Quero dizer que a sua voz é o som mais agradável do mundo e que um jardim inteiro floresce dentro de mim quando você me chama de meu amor, de amor meu. 

Eu quero me dizer pra você. Quero dizer o quanto você é importante pra mim, o quanto você me melhora como pessoa, o quanto você me faz feliz e quero dizer também o quanto eu lhe amo, o quanto eu lhe admiro, o quanto eu me apaixono por você, dia após dia. 

Eu quero me dizer pra você. Quero ser um poema e me declamar diariamente pra você, e deixar recadinhos na porta da geladeira, gravar mensagens bobas na caixa postal do seu celular, trazer flores nos dias mais comuns da semana e te acariciar com todas as palavras de afeto que você merece. 

Eu quero me dizer pra você e quero ser todo ouvidos para você se dizer pra mim. E que não nos faltem ocasiões para nos dizermos um para o outro. Que o nosso amor transborde em palavras, em gestos, em carinhos, em poesias e canções. Que o nosso amor seja o mais bonito do mundo, o mais especial do mundo, o mais intenso do mundo e que o nosso elo jamais se desfaça.

(Wendel Valadares)

[Texto do livro A tradução do silêncio]

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

"[...] Eu sempre sonho que uma coisa gera, 
nunca nada está morto. 
O que não parece vivo, aduba. 
O que parece estático, espera". 

[Adélia Prado - Leitura]

                                       Imagem: © Ben Zank

Apesar da dureza dos dias as sementes da esperança não param de florescer em nós. Descobrimos novos sonhos em lugares ondem só imaginávamos existir cansaço. 

Vamos nos renovando, nos revitalizando, nos fortalecendo com pequenas doses de afetos que recebemos aqui e ali. 

Sigamos adiante. 

(Wendel Valadares)

sábado, 16 de janeiro de 2016

DEIXA PRA LÁ

[...] Eu aqui tenho ido um pouco aos trancos. 
As vezes duvidando um pouco 
do acerto das opções que foram sendo feitas 
nos últimos anos, quando me dou por conta nesta cidade 
quase sempre árida, sem nenhum amor, sem paz. 
Um ceticismo, umas durezas que eu não tinha antes. 
Deixa pra lá...

(Caio Fernando Abreu, in: Cartas)

                                         Imagem: © Cameron Bloom

Viver tem sido, pelo menos nos últimos meses, 
um "deixa pra lá" constante. 
Quase um mantra repetido à exaustão: "deixa pra lá". 
Pessoas cruéis acobertadas pelo cinismo de um riso falso.
Cobranças excessivas: você não fez isso, você não fez aquilo. 
Um desânimo pairando no ar, insinuando-se instante após instante
e uma tristeza pousada em minha cabeça, como um pássaro negro
que deposita em mim o peso da humanidade. 

Pensei em escrever um desabafo e buscar alguma alternativa de
me esvair dessa angústia mas, deixa pra lá...

(Wendel Valadares)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

AQUIETAR-SE

                                       Imagem: © Emma McEvoy

Usar a solidão para soltar-se.
Aproveitar o silêncio para escutar-se. 
Valer-se da noite para enxergar. 

Buscar a cura nas águas do repouso.

Buscar ser. Buscar-se. 

(Wendel Valadares) 



Dos escritos que, sei lá...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

DOS ESCRITOS QUE, SEI LÁ...

esperando
o verbo
ESQUECER

acontecer.
  
[como demora!]

(Be Lins)

Imagem: © Laura Cole


Há sempre uma lembrança
que já deveria ter sido esquecida.

***

Já que não sei esquecer,
queria aprender a não lembrar. 

***

Não esquecer dói mais do que lembrar.


(Wendel Valadares)

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

LIVROS LIDOS EM 2015

2015 foi um ano muito turbulento, pelo menos pra mim. Além de ser o último ano da faculdade e eu ter mergulhado num TCC interminável (drama típico de um canceriano), eu mudei de emprego e trabalhei feito gente grande. E é claro que toda essa loucura da vida cotidiana (nome de filme?) interferiu nas minhas leituras. Mas lamentações à parte, embora tenha lido poucos livros, o saldo final foi positivo, pois fiz leituras incríveis e descobri autores pelos quais me apaixonei, como a linda Chimamanda e o sensacional Zambra.

Bom, sem mais delongas, esses foram os livros que li em 2015:

1) Tomates Verdes Fritos - Fannie Flag
2) Hibisco Roxo - Chimamanda Ngozi Adichie
3) O Quinze - Rachel de Queiroz
4) O meu pé de laranja lima - José Mauro de Vasconcelos
5) Claro Enigma - Carlos Drummond de Andrade
6) Deus Negro - Neimar de Barros
7) Cristianismo Puro e Simples - C. S. Lewis
8) Compêndio para uso dos pássaros - Manoel de Barros
9) Formas de voltar para casa - Alejandro Zambra
10) A vida privada das árvores - Alejandro Zambra
11) Bonsai - Alejandro Zambra
12) Gramática Expositiva do Chão - Manoel de Barros
13) Harry Potter e a Pedra Filosofal - J. K. Rowling
14) Mas é que eu não sabia que se pode tudo, meu Deus! - Karina Rabinovitz
15) Poesia essencial Roseana Murray - Org. Hebe Coimbra
16) Americanah - Chimamanda Ngozi Adichie
17) De carne e concreto - Julianna Motter
18) Quando o azul não desbotava - Franck Santos
19) Materiais para confecção de um espanador de tristezas - Ondjaki
20) Da poesia, fez-se flor - Juliane Rodrigues
21) Da morte, Odes Mínimas - Hilda Hilst
22) Imprevisto - Felipe Magalhães Francisco
23) O perdão imperdoável - Maria Carpi
24) Quero minha mãe - Adélia Prado
25) A religião do girassol - Org. Jorge Sousa Braga
26) Uma vida em segredo - Autran Dourado
27) Constelações de Sentimentos - Raick Tavares
28) Poemas para dias de chuva - Franck Santos
29) Cartas para M. - Michele Pupo
30) Estado de Graça - Abraão Vitoriano
31) A noite devorou o mundo - Pit Agarmen
32) Manuscritos de Felipa - Adélia Prado

FELIZ ANO BOM

"Deixa eu dançar pro meu corpo ficar odara
Minha cara minha cuca ficar odara
Deixa eu cantar que é pro mundo ficar odara..."

(Odara - Caetano Veloso)

                                     Imagem: © Benoit Courti

O ano novo inaugura uma nova vontade de mudança.
Mudar o ano nos leva a mudar o pensamento,
a direcionar nossas energias para novos objetivos.

Ter a possibilidade de fazer algo diferente
renova em nós a capacidade de sonhar.
Mudamos o ano e nos reinventamos,
ainda que devagarinho.

Então, do fundo meu coração, desejo à todos nós
um ano repleto de novas coragens, novas forças,
novas esperanças, novas mudanças.

A gente vai cantando, dançando, mudando
"pro mundo ficar odara".

FELIZ ANO BOM!

(Wendel Valadares)