domingo, 24 de novembro de 2013

SOBREVIVEREMOS

                                    Imagem: © Michal Zahornacky

Eu queria escrever sobre o calor que invade minha cidade hoje, a previsão do tempo para a semana, a cotação da bolsa de valores, ou o novo namorado daquela celebridade polêmica, mas não consigo. 
Nada derrama melhor no papel do que você. Tudo começa melhor com a inicial do seu nome, apesar dessa lacuna que se abre em meu coração toda vez que minha mente te desenha. 
Você é um poema que eu não consigo decifrar nem esquecer e fica repercutindo no vazio do meu peito. 
Você é dor e cura. Euforia e mansidão. Ansiedade e paciência. Todos os meus avessos nascem em você. 
Você é calma, é alma, é a palavra que me salva quando a vida fica insuportável. 
Pensar em você é como ler um livro bom, provar o melhor vinho, sonhar sem querer acordar. 
E de fato é nisso que você se transformou: um sonho. 
A minha tentativa desesperada de falar sobre você é para que não morras, para que fiques, mesmo não estando. Mas é que de alguma forma você sempre está.
É por causa dessa saudade que te ressuscito, a cada cinco minutos, ao longo dos dias. 
Morro, tantas vezes, para que o seu reflexo não se perca no vão do tempo. 
E te cultivo, como a última rosa do jardim, porque além da lembrança, seu perfume ficou impregnado na minha alma. 

Embora estejamos tão longe,  você sobreviverá nesse romance sem fim que eu construí para que as nossas histórias se cruzem, se entrelacem e não terminem. 
Sobreviveremos.  

(Aryane Silva* & Wendel Valadares)


Aryane Silva é uma escritora talentosíssima, que retrata com maestria as situações mais inusitadas da vida. Ela escreve aqui: Amor em Letras

sábado, 23 de novembro de 2013

SOBRE O TEMPO


                                       Imagem: © Magda Wasiczek

Sei de mim apenas o que a flor sabe de si:
num tempo irá florir,
noutro, morrer.
Só isso.
Tudo isso.

(Wendel Valadares)

FAMINTOS

                                      Imagem: © Kris Van de Vijver

Me empresta seu corpo, mulher,
seu fogo, seu calor, seu fervor.
Me empresta sua íris, sua língua, sua vulva,
me empresta sua carne, sua culpa,
sua consciência, seu arrependimento.
Me empresta seu tempo, sua vida,
me dá sua comida, sua água.
Me afoga com a sua saliva,
me salva, me abriga.
Me lava com o suor da sua pele,
me salga, me tempera, me esquenta.
Me dá um medo, me inventa,
me tenta, me vença.
Me ensina a anoitecer e a raiar,
me ensina a amar
e a uivar feito homem,
que eu te sacio a fome.

(Wendel Valadares)

CARNE CRUA

                                                Imagem: © Carmelo Blázquez Jiménez

Te espero com olhos, lábios,
coração, estômago e intestinos,
sedento da tua carne nua,
tua carne crua, minha carne sua.

Vem, fura meu peito com a força da tua palavra,
põe o gosto da tua língua
no céu da minha boca
e deixa o dia amanhecer em nós.

Traz o verão pro meu corpo,
porque só a tua presença é capaz de dissolver
os vinte invernos que assombram
meu coração de homem mortal.

(Wendel Valadares)

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

NÃO É MAIS

                                        Imagem: © António Tedim

Foi tão bonito o futuro que planejamos pra nós.
Em que momento do passado perdemos o presente?

(Wendel Valadares)

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

VOCÊ ME PRIMAVERA

                                        Imagem: © Олег и Алексей Ловцовы

Você transforma o meu deserto
num jardim florido.

(Wendel Valadares)

terça-feira, 19 de novembro de 2013

DAS COISAS QUE EU ESPERO

                                       Imagem: © Krasimir Matarov

Sem muitas fantasias
e planos para o futuro,
só espero estar acordado
quando o amor,
enfim chegar...

(Wendel Valadares)

ENTÃO...

                                     Imagem: © Collin McAdoo

[...] faz tanto tempo que a gente se adia!
Então, por que é que você não chega e fica?

(Wendel Valadares)

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

PEDIDO

                                        Imagem: © Dorota Krauze

Que alguma delicadeza me abrace.
Que alguma brisa me envolva.
Que algum gesto me salve.
Que algum milagre se concretize.
Que algum sol me aqueça.
Que algum abraço me acolha.
Que algum ouvido me ouça.
Que algum ombro me console.
Que algum olhar me melhore.
Que algum sorriso me cure.
Que algum amor me salve.

- Wendel Valadares -

sábado, 26 de outubro de 2013

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

DAS SAUDADES INSOLÚVEIS

                                     Imagem: © ken-photography

Braços estendidos para o vazio,
saudades mal dormidas,
silêncios agudos ensaiando abraços,
murmúrios, soluços e expectativas.

Quando você chega, eu chego.
Quando você fica, eu fico.
Quando você vai, eu morro.
E se retornas, ressuscito!

(Wendel Valadares)

terça-feira, 22 de outubro de 2013

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

DIAS MELHORES

                                       Imagem: © Adrian Limani

É uma pena você não ter compreendido meu tempo,
não ter entendido meu silêncio,
não ter abraçado meu momento,
mas não vou entoar nenhum lamento,
não agora, que estou leve feito o vento.

Espero que alguma brisa te abrace,
te acalme, te acolha, te sorva.
Espero mesmo!

Do lado cá, paz e inteireza
em cada gesto, em cada sopro.

(Wendel Valadares)


domingo, 20 de outubro de 2013

PROJEÇÕES

"[...] E a gente caminhando de mão dada de qualquer maneira
Eu quero que esse momento dure a vida inteira
E além da vida ainda de manhã no outro dia
Se for eu e você
Se assim acontecer. . ."
(Se tudo pode acontecer - Arnaldo Antunes)

                                       Imagem: © Nazar Zhovnirchyk

Indômito, gasto as horas projetando contextos e ensaiando falas
para que os nossos gestos não se percam no vão do tempo.
Quero dizer que penso em nós.
E pensar em nós implica uma infinitude de possibilidades.
Pensar em nós nos torna reféns do acaso, prisioneiros das expectativas.
Pensar em nós antecipa os "amanhãs".

Hoje é tão bonito viver o futuro.
Hoje quero ficar ao seu lado pra sempre.
Só hoje.

(Wendel Valadares)

Ao som de: Se tudo pode acontecer - Arnaldo Antunes

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

ENTRELINHAS

                                          Foto: © anyaberkut

Qualquer vírgula nos distancia.
Qualquer ponto nos limita.
Poucas palavras nos definem.
Um silêncio nos explica.

Uma preposição nos liga.
Entre você e eu não há hifens.
Talvez, caibamos num parêntese.
Moramos nas reticências.

Na nossa f(r)ase, o verbo amar é conjugado em todos os tempos.

Eu era verso e você poema.
Juntos somos P O E S I A.

- Wendel Valadares, in: A Tradução do Silêncio. Editora Penalux, 2013.

domingo, 13 de outubro de 2013

RETICÊNCIAS

                                        Imagem: © Walcoo

Por favor, perdoe a minha sucessão de inconveniências,
mas é que o meu coração decidiu não desistir do seu.

- Wendel Valadares, in: A Tradução do Silêncio. Editora Penalux, 2013.

sábado, 12 de outubro de 2013

INESTANCÁVEL

                                                      Foto: © Ridgeviewx Kid

Depois de tanto mal entendido,
tanto bem subentendido,
tanto sentimento contido,
tantas palavras mal ditas,
e outras tantas benditas,
tanto silêncio falado,
tantos olhares calados,
tantos abraços cansados,
tanta espera esperançosa,
a cura não estava no tempo,
a ferida ainda sangra.

- Wendel Valadares, in: Essência. Editora Multifoco, 2012.

LEMBRANÇA

                                          Foto: © Pink Sword

O coração é quem sabe
quem ele quer por perto,
ora se faz de esperto,
às vezes se deixa levar.
Por uns ele tem mais apreço,
com outros nem faz muito gosto,
portanto, sofreu de desgosto,
já viu muita vida ir embora.
É gente chegando e partindo,
o mundo que gira e não para.
A vida tão bela e tão rara,
se faz passageira do vento.
Empasse de idas e vindas
que traz e que leva o viver,
o tempo é quem faz florescer
o gosto, o gesto e o afeto.
Quem fica se torna amigo,
quem vai fica só na história,
retrato, lembrança, memória,
que o tempo não há de apagar

- Wendel Valadares, in: Essência. Editora Multifoco, 2012.

*Para um amigo especial, de Goiânia.  

POEMA PARA ETERNIZAR

                                   Foto: © Joel Robison

Passageiro é só tempo,
retalhado em fatias enfastiantes,
cobrando pressa, cumprindo o oficio.
Nós, homens cruéis e perecíveis,
somos estacas fincadas neste cerne,
somos farpas afinadas penetrando os radicais
e alterando os prefixos.
Tudo fica, em nós, conosco, pra nós,
nada se perde, nem para o bem ou mal,
nem mesmo para o esquecimento.

- Wendel Valadares, in: Essência. Editora Multifoco, 2012.

SONHADOR

                                         Foto: © Jose Gabriel

Eu tive um sonho sem dormir
e viajei dentro de mim,
eu vi o mundo de olhos fechados
e encontrei o meu lugar.
Por desejo e ambição
de utopia e liberdade,
tanto quis meu coração
embarcar nessa viagem.
Uma esperança corajosa
transpassou o meu sonhar,
um desejo impetuoso
deu-me asas do querer.
Ver a vida com outros olhos,
acreditar que tudo é belo,
ser espelho da verdade,
ser feliz sem vaidade,
eternizar o que é sincero.
Almejar felicidade,
planejar com esperança,
fazer viva a vontade,
inflamá-la de coragem
e nutri-la com a fé.
Sonho é sonho, só sonhado,
vida é vida, é sofrida,
é a lida de quem só espera,
se é destino ou sina, quem me dera,
é a luta, é a luta.
De homem só, eu me fiz sonho,
o meu céu fiz mais azul,
se é ilusão, quem me dirá?
Vivo estou, disso eu sei,
mas sei sonhar.

- Wendel Valadares, in: Essência. Editora Multifoco, 2012. 

COM O CORAÇÃO

                                   Imagem: © Walcoo

Quando o coração fala ele diz AMOR.
Todos os sentimentos mais bonitos viram palavras e o afeto se fluidifica e abraça o corpo inteiro.

Quando o coração fala ele diz CARINHO.
Qualquer pedaço de tempo dura uma eternidade.
Cada detalhe ganha uma proporção gigantesca e não existe nada pequeno.

Quando o coração fala ele diz TERNURA.
Cada gesto, até o mais singelo, adquire significado, ganha contexto e colore de azul a história.

Quando o coração fala ele diz PRESENÇA.
Toda estrada tem uma dor de ausência, toda distância tem um peso de solidão, para que logo em seguida a chegada seja celebrada com festa.

Quando o coração fala ele diz RESPEITO.
Os limites do outro são aceitos e respeitados sem nenhuma imposição, a convivência se torna agradável e os problemas são resolvidos com paciência e compreensão.

Quando o coração fala ele diz AMIZADE.
Tudo tem uma cumplicidade ímpar, um cuidado, um zelo pelo outro, pela vida do outro e a relação se torna sadia, dócil.

Quando o coração fala a alma vibra e o corpo todo dança suave essa melodia que é estar vivo. O corpo fica leve e flutua perene nas asas de um bem querer despretensioso.

Quando o coração fala os horizontes se aproximam, se apaixonam e se entregam ao crepúsculo, ao beijo do dia e da noite, e estrelas florescem no solo sagrado do sentimento. Tudo é jardim.

Belezas se exaltam, delicadezas acontecem, sussurros atrás dos muros comunicam gentilezas, gestos eternizam laços, futuros caminham de mãos dadas à sombra de um céu de afetos, utopias pueris se desprendem das entranhas do infinito, inauguram alegrias e amaciam o cotidiano áspero, bordam carícias.

Quando o coração fala, ele diz o que a razão não admite, o que os silêncios omitem, o que as palavras confundem. Quando o coração fala tudo acontece, como deve acontecer.

- Wendel Valadares, in: A Tradução do Silêncio. Editora Penalux, 2013 -



quinta-feira, 10 de outubro de 2013

ENTENDE?

                                       Imagem: © Walcoo

Quando tudo é silêncio, qualquer palavra sua desabotoa a minha alegria mais verdadeira
– ainda contida no medo.
Quando tudo é barulho, qualquer olhar seu acalma minhas ondas mais agitadas
– que insistem em bagunçar a praia.

Eu me projetei inteiro numa verdade – particular – onde o seu gesto mais simples
é a chave que permite acesso ao meu horizonte – intimo.
Eu já lhe convidei tantas vezes pra ver o (meu) mar,
mas acho que você tem medo do mergulho.

Por mais que doa (aqui dentro), fico esperando um ato seu, uma decisão sua.
Só peço que não me condene por agir assim, porque eu quero que você me salve,
mas não quero ter que pedir.

- Wendel Valadares, in: A Tradução do Silêncio. Editora Penalux, 2013

domingo, 6 de outubro de 2013

LAMENTO DA INOCÊNCIA

                                     Foto: © Maureen Bisilliant


Meu Deus, me livra da mediocridade
desses dias supérfluos,
afasta-me dessas pessoas
que só tem fome de matéria.
Me dá uma corda e um arco de bambolê,
me canta a ciranda do passa anel e corre cutia.
Ó pai, me manda comprar um quilo de açúcar
na venda ali da esquina e trazer o troco de bala macia.
Ó mãe, pega o chinelo pra me mandar tomar banho,
esfrega meus pés com a escova dura, pra limpar direito
e arruma meu cabelo que ainda nem sei pentear.
Ó Deus, ó pai, ó mãe, me deixa ser menino de novo,
me pega no colo, me cheira, me adula.
Ó menino.

- Wendel Valadares, in: Essência; Pág. 128. Editora Multifoco, 2012

POEMA DE GENTE SIMPLES

                                       Foto: © Kevin Conor Keller

Quando nasci, um anjo alegre
desses que cantarolam nas nuvens
disse: vai menino, vai escrever poesia,
coisa já esquecida nesses dias mornos.
Oficio de gente culta, graduada,
tentaram domesticar a escrita.
Eu pulei cerca e dancei na chuva,
comi manga verde e tomei leite,
nem de morte eu lembrei.
Dei risada até doer a barriga
e contei causo de assombração só pra fazer medo.
Minha obrigação é de ser feliz.
Escrevo sem fazer uso dos bons termos,
palavras difíceis não cabem na minha boca.
Aceito de bom grado as rejeições,
ser simples não é pra qualquer um.
Tem gente pagando pra ficar cego.
Eu não. Eu vejo até de olhos fechados.

- Wendel Valadares, in: Essência. Pág. 15. Editora Multifoco, 2012

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

SOBRE DESISTIR

"[...] O tempo foi gastando
O que não era pra durar
Como se eu soubesse
Não era amor pra todo dia..."
(Tiê - Piscar o olho)


                                    Foto: © алёна гончарова

[...] olhando assim parece que eu estou desistindo com muita facilidade,
mas a verdade é que eu cansei de esperar.
Cansei de morar no seu "depois-qualquer-dia-quem sabe".
Cansei de justificar - pra mim mesmo - todos os seus nãos.
Aqueles "nãos" que você nunca pronunciou.
Cansei de amenizar os fatos, de melhorar - sozinho - nosso futuro,
quando nem tínhamos um presente juntos...

(Wendel Valadares)

domingo, 15 de setembro de 2013

SOBRE ESQUECER

                                       Foto: © Collin McAdoo

[...] Hoje eu acordei um pouco melhor - comigo mesmo.
Me olhei com mais generosidade, com mais respeito.
Me senti aliviado, depois de tanta melancolia,
de chover sozinho todos esses dias, de abrigar a saudade no meu peito.

Acho que te esqueci em alguma esquina...

(Wendel Valadares)


SOBRE O TEMPO

"[...] Temos nosso próprio tempo, 
temos nosso próprio tempo..."

(Tempo Perdido - Legião Urbana)


                                    Foto: © Alex Stoddard

O tempo me ensinou a esperança do amanhecer.
O tempo me ensinou a sabedoria do entardecer.
O tempo me ensinou o silêncio do anoitecer.
O tempo me ensinou a essência de permanecer.

O tempo me ensinou a aprender.

(Wendel Valadares)

Ao som de Liah Soares: Tempo Perdido

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

DAS VERDADES

"[...] Depois, um amigo me chamou 
para ajudá-lo a cuidar da dor dele. 
Guardei a minha no bolso. E fui..."
(Caio F. Abreu)



A verdade é que eu estendo a mão para ajudar,
mas quando preciso, não sei pedir socorro.

(Wendel Valadares)

sábado, 7 de setembro de 2013

FAZER SENTIDO

[...] Serão noites inteiras
Talvez por medo da escuridão
Ficaremos acordados
Imaginando alguma solução...

(Será - Legião Urbana)


                                   Foto: © Brave Planet

Amanheci plantando silêncios na dobradura das horas. Entardeci o dia. Chovi a tarde inteira, encharquei memórias, diluí saudades, afoguei esperanças e desaguei na boca da noite. Fiquei à deriva buscando porto, abrigo, calmaria. Tentei passar, mas o dia me abraçou com força e eu fiquei repercutindo vazios, compondo soluços e suspiros na parte turva da alma. Desarmônico, destoei o ritmo dos ventos, arranhei a partitura das águas, fiz barulho. Desaprendi uma porção de futuros, mas fiquei humano, simples, pequeno. 

Agora, qualquer delicadeza fala. 
Agora, no vão de qualquer impossibilidade, eu sou palavra. 
Enfim, estou fazendo sentido.

(Wendel Valadares)

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

CONVITE

Meus queridos amigos, chegou a hora de realizar mais um sonho: o lançamento do meu segundo livro.

E você é o meu convidado especial.





domingo, 25 de agosto de 2013

DAS DEFINIÇÕES

                                         Foto: © thong art


A poesia mora
onde o olhar demora,
onde a delicadeza aflora,
onde o intelecto ignora,
onde a criança chora,
onde desponta a aurora,
no infinito que não vai embora.

A poesia é o que fica,
antes e depois de tudo,
agora.

(Wendel Valadares)


O MILAGRE MORA NA SIMPLICIDADE

                                       Foto: © Snezana Petrovic

Eu achava que alguma coisa grande e extraordinária precisava acontecer na minha vida.
Fiquei muito tempo parado, esperando esse grande acontecimento chegar
e nem percebi que os verdadeiros milagres acontecem diariamente,
nas coisas mais simples e corriqueiras do dia-a-dia.

(Wendel Valadares)

segunda-feira, 19 de agosto de 2013



Estou tentando com alguma esperança coragem,
não desistir de você.

(Wendel Valadares)

domingo, 18 de agosto de 2013



Não preciso mais seguir teus passos,
agora você mora no meu abraço.

(Wendel Valadares)

sábado, 17 de agosto de 2013

SINTONIA





Teu silêncio descansa minhas incertezas.
Teu olhar borda em mim um mundaréu de singelezas.
Qualquer palavra - despretensiosa - é capaz de alinhar nossos horizontes, 
distantes no espaço, tão próximos no tempo.

Estamos na mesma sintonia, na mesma conexão,

no mesmo elo, no mesmo alinhamento.
Estamos no mesmo poema.
Somos POESIA.

(Wendel Valadares)




*Para Priscila Rôde, poeta-amiga-irmã que a poesia me deu de presente.


É VOCÊ



A noite inteira remoendo uma saudade que vai embora no mesmo instante em que você chega.

Não importa o quão escuro esteja – dentro ou fora de mim – você inaugura minhas manhãs.

Alguns sorrisos (meus) só acontecem pra você.

(Wendel Valadares)
Texto do livro: A Tradução do Silêncio, pág. 45

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

AO MEU LADO


Longe demais de estar perto, fechei os olhos e fiquei inventado nomes para as estrelas, tentado de alguma maneira passar a perna no tempo. Plantei flores no vão das nuvens, mudei a lua de cor e de lugar várias vezes, colhi esperanças, brinquei de futuro, de céu, de ave, voei.  Pousei no mar, mergulhei no infinito, nadei no passado, visitei ilhas, histórias, memórias, naveguei no vazio. Fui ao âmago da alma, fui a Saturno, ao País das Maravilhas. Nasci, cresci e diminuí incontáveis vezes, me teletransportei. Quando enfim abri os olhos você estava ao meu lado. E eu logo percebi que você sempre esteve comigo, nem sempre do lado de fora, mas morando dentro, no meu carinho mais bonito, no meu melhor espaço, no meu coração. 

(Wendel Valadares)


CHÃO DE FLORES

Por onde você passava
deixava cair dos bolsos
sementes de afeto.
Não foi tão difícil
te encontrar:
segui o caminho das flores.

(Wendel Valadares)


quinta-feira, 15 de agosto de 2013

ALGUM DIA



Estou perseguindo essa distância que nos levou embora.
Sei que é impossível voltar no tempo,
mas em algum lugar do futuro
nossos passos vão se encontrar. Mais uma vez.

(Wendel Valadares)

terça-feira, 13 de agosto de 2013

COMEÇAR-SEM-FIM


Dispersos entre sentimentos e vírgulas, esperamos ansiosos pelo próximo parágrafo, o próximo capítulo, a próxima página, mas estamos na mesma história - e isso é o que importa - contextualizando verdades, construindo enredos, ensaiando finais. Nossos silêncios conversam, mas quando há espaço demais entre as palavras os erros precisam ser pontuados e corrigidos.
É sempre a expectativa do próximo acontecimento que movimenta nossos desejos. 

Nós dois - eu e você, você e eu -  somos tão improváveis, que nos sentimos impelidos a inaugurar o próximo minuto.

Não temos final, nosso amor é um eterno começar-sem-fim. Todo dia.    

(Wendel Valadares)


ESPERAR O TEMPO



Sem muito alarde. Sem drama mexicano. Sem melancolia.
Estou deixando essa tristeza durar um pouco mais de tempo.

Aprendi - e só o tempo ensina - que amputar a tristeza
só faz a ferida ficar maior, só aumenta a dor.
Alegria inventada não cura, não alivia, não salva.
O que melhora mesmo é a força que cresce dentro da gente.
É a fé. É a certeza de que no tempo certo a alegria vem.

Hoje ainda dói um pouquinho, mas eu não ligo muito,
estou acreditando com muita coragem no amanhã.

(Wendel Valadares)



O DOM DE ACREDITAR




Uma decepção aqui, outra desilusão ali. Uma dose de maldade pela manhã, algumas dores no fim do dia.
Muitos tropeços nessa estrada sinuosa que é a vida. Mesmo assim meu coração me convence a cada dia que o bem é sempre maior, que algum dia, em algum lugar, no momento certo alguma coisa muito boa vai acontecer e tudo vai se explicar, e tudo vai fazer sentido.

Sei que tenho muitos defeitos, algumas virtudes, momentos de fraqueza, outros de coragem, mas maior do que tudo isso é a minha fé.

Se tem uma coisa que eu sei fazer bem, é acreditar!

(Wendel Valadares)


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

E MAIS QUE TUDO



Indecifrável, vestido com a porção mais dolorida dessa saudade que você plantou em mim.
Indefinido feito um poema. Assimétrico, desarmonioso, incongruente. Sem poesia.
Desalinhado. Descompassado. Descontrolado. Desolado. Desiludido. Desesperançado.

E acima de tudo, e mais que tudo:

Completamente apaixonado.

(Wendel Valadares)

domingo, 4 de agosto de 2013



Muitos rascunhos, palavras interrompidas, frases começadas, mas parece que essa angústia de hoje não quer virar poesia.

Hoje a dor é só dor. A tristeza é tristeza mesmo. A solidão incomodada demais e o frio se alojou aqui dentro, ao lado dessa saudade insuportável.

Pode ser que amanhã algum verso desabroche. Pode ser que não.

(Wendel Valadares)